Sa√ļde Oncologia

Os perigos dos produtos naturais e do "poder da mente" no combate ao câncer

Por Texto de Digital Trix - Março 2020

29/04/2021 às 15:32:08 - Atualizado h√°
Foto ilustrativa

Interação negativa com medicamentos convencionais e abandono do tratamento são os maiores riscos de tentar um caminho alternativo contra a doença


H√° décadas se fala sobre o "poder da mente" e o uso de produtos naturais para a cura de doen√ßas.

Quando o assunto é c√Ęncer, pacientes e pessoas ao seu redor que procuram por esse tipo de "milagre" tende a se amplificar. Isso porque, como explica Regina Chamon, hematologista e respons√°vel pelo servi√ßo de medicina integrativa do Centro Paulista de Oncologia CPO, "em todas as doen√ßas amea√ßadoras de vida, o apelo de caminhos aparentemente mais simples é maior, e, como o diagnóstico de c√Ęncer ainda é relacionado à morte, h√° mais chances de os pacientes se voltarem a essas "solu√ß√Ķes"."

Se inicialmente era pela for√ßa do boca a boca que as "receitas" de ch√°s/compostos alimentares e as repeti√ß√Ķes de frases para "condicionar a mente para a cura" se espalhavam, hoje esses artif√≠cios contam com o alcance da internet e até com grandes empresas comandadas por pessoas p√ļblicas vendendo produtos para tratamentos alternativos e com document√°rios que defendem que os pensamentos podem ser mais eficazes que os remédios para eliminar o c√Ęncer.

Segundo a hematologista, n√£o existem evid√™ncias cient√≠ficas que comprovem a efic√°cia dos remédios naturais ou do poder da mente, mas sim sobre os perigos que eles apresentam quando adotados como complementos ou alternativas ao tratamento convencional sem o conhecimento dos médicos.

"Existe uma cren√ßa em que produtos naturais n√£o tenham efeitos colaterais, mas t√™m. Alguns podem interagir de forma negativa com os medicamentos da quimioterapia, inclusive", diz Chamon. Por exemplo: tomado em excesso, o ch√° verde sobrecarrega o f√≠gado, que j√° é muito exigido pelos remédios das sess√Ķes de quimio; a erva de S√£o Jo√£o aumenta o risco de sangramentos; h√° até compostos anti-inflamatórios e indutores de sono que inibem a metaboliza√ß√£o dos medicamentos.

Complementar, sim e com o conhecimento dos médicos; alternativo n√£o

Isso n√£o quer dizer que produtos naturais e técnicas de fortalecimento mental estejam vetados durante o tratamento contra o c√Ęncer. Se usados com orienta√ß√£o da equipe médica que acompanha o paciente, s√£o até muito bem-vindos. "O problema é adot√°-los sem saber desses efeitos colaterais ou, em um cen√°rio muito pior, abandonar o tratamento convencional por causa deles. Um estilo de vida com mais compostos naturais e aten√ß√£o para dentro de si pode ser complementar a terapia tradicional, mas nunca ser visto como uma alternativa a ele", defende a médica.

O caminho para que isso ocorra de forma tranquila é o do di√°logo; levar à equipe médica o que est√° disposto a tomar ou adotar no dia a dia e ouvir o feedback dos profissionais.

"É importante entender por que o paciente quer aquilo e oferecer algo seguro para seu objetivo", afirma a especialista em medicina integrativa. Ela exemplifica: "Uma das maiores preocupa√ß√Ķes de quem trata um c√Ęncer é a imunidade, o que leva à busca por suplementos alimentares que podem causar aquela intera√ß√£o negativa com os medicamentos da quimioterapia. Ent√£o recomendamos uma alimenta√ß√£o voltada ao fortalecimento da imunidade, ou seja, uma dieta segura e sem a necessidade desses comprimidos".

O mesmo vale para as técnicas de cura pela mente. Elas n√£o s√£o condenadas pelos médicos que integram as equipes multidisciplinares de tratamento contra o c√Ęncer, mas h√° uma preocupa√ß√£o em esclarecer que elas devem ser feitas paralelamente às sess√Ķes de quimioterapia, n√£o em substitui√ß√£o a elas. Chamon inclusive argumenta que o corpo humano responde positivamente à medita√ß√£o e a pr√°ticas como a yoga, o que pode beneficiar no combate ao c√Ęncer.

"A resposta de estresse, que é um mecanismo de defesa do organismo para lidar com perigos iminentes e pode estar muito presente durante o tratamento contra o c√Ęncer, desencadeia processos inflamatórios e tem como sintomas a ansiedade, a insônia, dores musculares, preju√≠zos de memória e de autoestima", lista. Tudo isso prejudica a resposta aos medicamentos.

Mas praticando medita√ß√£o, por exemplo, é poss√≠vel diminuir a resposta de estresse e aumentar a resposta de relaxamento, o que é benéfico por diminuir as inflama√ß√Ķes, os sintomas negativos e também o risco de recidiva, de volta do c√Ęncer, segundo a profissional.

Regina Chamon finaliza: "A gente v√™ os benef√≠cios da mudan√ßa orientada de comportamento e de alimenta√ß√£o na melhora dos sintomas e também na autonomia e na autoestima do paciente. Quanto atuamos em conjunto, com di√°logo, todos saem ganhando".

Comunicar erro
Jornal Excelsior

© 2021 Copyright © 1992 a 2021 - IAOL - Integração Ativa On-Line Editora Ltda.
As informações relacionadas à saúde, contidas em nossos sites, tem caráter informativo, cultural e educacional. O seu conteúdo não deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Nossos conteúdos são formados por autores independentes e assessorias de imprensa, responsáveis pela origem, qualidade e comprometimento com a verdade da informação. Consulte sempre um profissional de saúde para seus diagnósticos e tratamentos ou consulte um profissional técnico antes de comprar qualquer produto para seu consumo..

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Jornal Excelsior